Posts com Tag ‘imoralidade’

DEus é bondoso?

Faz parte do currículo do deus judaico-cristão a bondade?


 
Há muito tempo venho ouvindo perguntas sobre a concepção do deus judaico-cristão para os ateus. Não é de hoje que muitos ateus vem se manifetando contra a ideia de um deus como aquele mostrado pela bíblia. Os cristãosnão conseguem enxergar o que realmente os revela a bíblia, mas mesmo assim estes insistem em NOS chamar de cegos.

   É se fingir de cego aceitar a ideia de um deus bonzinho que os cristãos tanto pregam. Ver assassinatos coletivos, ações filicidas, homofóbicas, racistas, sadistas, egoistas e imorais não é nada agradável e nada bondoso para qualquer ser. Informo que essa análise é em base da ideia da maioria em crer que o deus do antigo testamento e do novo são um só, não enquadra nesta análise quando a concepção se passa por um politeismo disfarçado entre um deus do antigo e do novo testamento.

    Amar e defender são instintos básicos presentes em muitos animais, estes adquiriram estas defesas sentimentais para propagar as suas respectivas espécies. A defesa como máxima da sobrevivência está em grupos e coletivas de animais que se unem entre si ou a outros para sobreviverem de possíveis predadores que se intimidam com números grandes de indivíduos. O amor, de uma forma mais natural, possibilita a contribuição de um animal de espécies iguais a se ajudarem com detalhes mínimos ou de grandes proporções. Tudo isso foi adquirido por uma evolução lenta e gradual e não por saliva divina.

Compreender que alguém verdadeiramente nos ama está no fato de sentir que a nossa individualidade é respeitada e é importante para alguém. Além, é claro, de saber que o amor é a valorização do indivíduo em si e não por uma única qualidade ou por inúmeros defeitos. Olhando por esse ângulo, será que o deus judaico-cristão nos ama?

Eu diria de forma clara e em bom tom que não. O deus mostrado na bíblia, que representa o deus dos cristãos e judeus, mostra ações que vão contra qualquer cultura ou ideia de bondade possíveis. Podemos citar situações de inversidade da bondade de qualquer ser e que você encontra facilmente em qualquer conversa com um cristão ou até mesmo na bíblia, como:

  • Dilúvio, acontecimento em que toda a população mundial foi ASSASSINADA, não por seus atos individuais, mas sim por um coletivo. Neste acontecimento há a desvalorização do ser humano como indivíduo e sim como espécie coletiva e fantoches de algo maior.
  • Destruição de Sodoma e Gomorra, novamente há o desprezo e a ira por conta de ações que para tal deus eram erradas, a punição para estas pessoas foi coletiva e aterrorizante, bolas de fogo em crianças, jovens, adultos e idosos sem a maior preocupação com a individualidade de cada um.
  • Pragas egipcias, para mostrar o seu autoritarismo, o deus judaico-cristão manda 7 pragas ao Egito, incluinto o assassinato de crianças inocentes.
  • Profecias ameaçadoras e desvalorizadoras, além de supostamente ter feito muito, tal deus ameaça incrédulos, homossexuais, bêbados, “feiticeiros”, religiosos de outras crenças, entre outros a queimar em um lugar quente e torturante, denominado inferno.

As demonstrações de maldade e crueldade se encontram em evidência na bíblia. Todo aquele que assim desejar pode ver tais passagens e outras neste livro. E diante de tantas mortes, demonstrações de egoismo, homofobia, machismo, injustiça, imoralidade, incopaixão, destruição, vingança, sadismo e entre outros, pessoas se deixam levar por um egoismo cristão e AFIRMAM que estas ações de CRUELDADE foram para honrar o nome de tal deus e SALVAR a humanidade do pecado total.

Temos a capacidade de nos ajudar e nos amar mutuamente e isto não é graças a nenhum deus. Saber que somos bons ou indiferentes nos traz alegria por nossa individualidade e não por sermos vistos como ovelhas. É desumano acreditar que se existisse tal deus ele seria bondoso jogando pessoas em abismos de larva. Somos mais do que qualquer doutrina pode impor, aceitar a nossa singularidade como ponto de partida é glorioso para nós e para quem o faz.

Sabemos o que é bom ou ruim por nossos próprios sensos de moralidade, e com uma total certeza eu sei que cristãos não aceitariam que tamanha destruição fosse sinônimo de bondade para um outro deus, mas cegos pela fé irracional enxergam no deus judaico-cristão uma regressão ao estado infantil de comodismo.

Ilustrando:

Aprovar a escravidão é sinônimo de bondade?

E para fechar a série de vídeos:

Leia mais a bíblia, caro cristão. E análise de uma forma imparcial as ações do deus judaico-cristão.