Posts com Tag ‘pessoas’

Senso de Justiça comum.

Senso de justiça possibilita as pessoas a pensarem e re-pensarem em seus atos com suas respectivas consequências.

Ultimamente, andei observando um pensamento de Nietzsche que me chamou muito a atenção. Este se refere ao fato de desumanidade que fazemos ao ignorar a ação negativa de uma pessoa. Estou me referindo a frase: “É desumano bendizer aquele que nos amaldiçoa.”

Essa citação, de certa forma polêmica, coloca em questão a nossa concepção de humanismo e perdão. Somos sensíveis quando tocam em nossos pontos de fragilidade social e pessoais, a nossa reação de vingança é institiva. Saber assimilar o poder de uma punição pessoal é uma necessidade para qualquer relacionamento humano, oferecer a outra face quando apanhamos não é nada normal ou símbolo de humanismo.

Aqui não se entra com o verbete de “olho por olho e dente por dente”, mas sim ao grande ensinamento que podemos repassar ao demonstrar o quão tal atitude é negativa. Quando demonstramos que estamos magoados com certa atitude, de uma forma bem certeira consiguimos colocar a reflexão no indivíduo que o fez. Mostrar que não gostamos ou o que não se deve fazer é deverás uma ação solidária, e aplicar as devidas penalidades é uma justiça para todos, tanto para o mau feitor como a vítima.

Não estou falando de um ciclo vicioso de vinganças, mas sim de ensinamentos e de balanças morais. Quando ignoramos uma ação negativa de alguém o ciclo vicioso de falhas prossegue e assim surge o que chamamos de maldade. Colocamos aqui a questão de maldade ser definidade como uma corrente ou um filho travesso que cresce e não se nasce por si só, de uma forma espontânea e não por desígno de criações sobrenaturais.

Usar de bom senso e coerência quando somos magoados ou atacados é algo louvável. Usando de uma leve brisa de ensinamento circunstancial damos honra ao opressor, por não ser ignorado por suas ações e suas falhas, e ao oprimido, por ter os seus “direitos” reclamados. Tal postura de encarar ações com consequências é um passo a ser educado e aprendido por todos e JAMAIS deve ser usado como postura de opressão vingativa ou grau de malevolência.

Com um senso de justiça trabalhado e disponibilizado a todos os cidadãos, uma diferença no comportamento político seria de forma espontânea. Políticos diante de uma multidão capaz de julgar de forma racional seriam menos “políticos” e mais cidadãos. Pessoas diante de pessoas que sabem julgar seriam menos hipócritas e concerteza mais humanas.

Ignorar uma ação NUNCA é solução. Saber como medir as ações com suas consequências é algo sábio que todos podemos aprender, desde que o bom senso caminhe conosco durante tal iniciativa.

Anúncios